África

São Tomé e Príncipe | Moçambique | Zanzibar | Tunísia | Quénia | Marrocos | Agadir | Tanzânia | Saïdia | Egito

10 destinos em África

São Tomé e Príncipe

TAP VER PACOTES

Moçambique

Verão VER PACOTES

Zanzibar

Praia VER PACOTES

Tunísia

Escapadinha VER PACOTES

Quénia

Primavera VER PACOTES

Marrocos

Primavera VER PACOTES

Agadir

Cidade VER PACOTES

Tanzânia

Verão VER PACOTES

Saïdia

Cidade VER PACOTES

Egito

Combinado VER PACOTES

Sabe mais sobre África

Ficha informativa

Documentação necessária:

África do Sul: Passaporte com validade mínima de 6 meses a contar da data de regresso.
Agadir: Passaporte com validade mínima de 6 meses a contar da data de regresso.
Guiné: Passaporte com validade mínima de 6 meses a contar da data de regresso | Visto obrigatório (obtenção na Embaixada ou no Consulado Geral da Guiné-Bissau em Lisboa) | Passageiros cuja Guiné-Bissau não tem nenhuma representação diplomática nos seus países podem adquirir o visto de entrada no aeroporto internacional Osvaldo Vieira | Boletim de vacina internacional.
Marrocos: Passaporte com validade mínima de 6 meses a contar da data de regresso.
Moçambique: Passaporte válido e visto obrigatório (obtenção à chegada ao aeroporto de Maputo)
Quénia: Passaporte com validade mínima de 6 meses a contar da data de regresso | Visto obrigatório (obtenção à chegada).
Saïdia: Passaporte com validade mínima de 6 meses a contar da data de regresso.
São Tomé e Príncipe: Passaporte válido. Dispensa de visto para estadias até 14 dias. Para mais de 14 dias, o visto terá que ser obtido na Embaixada de São Tomé e Príncipe em Lisboa ou nos Consulados do Porto e Coimbra.
Senegal: Passaporte válido. 
Tanzânia: Passaporte válido e visto (obtido à chegada).
TunísiaPassaporte válido e visto (obtido à chegada).
ZanzibarPassaporte válido. Visto (obtenção à chegada).


Consulte e/ou imprima:
Razões para fazer a mala

1. Berço da Humanidade: Ir a África é renascer. É o reencontro com a natureza virgem, o reviver de sensações primitivas e ancestrais.

2. Património: Ir a África é mergulhar na herança que os nossos antepasssados deixaram em África, uma herança muitas vezes classificada como património da humanidade.

3. Aventura e descobrimento: Ir a África é ir à aventura, é descobrir uma fauna que mais nenhum continente oferece, é contactar com culturas ancestrais.

4. Descanso: Ir a África é poder desfrutar dos mares mais envolventes e mais belos do planeta, é o recargar de energias físicas e psicológicas.

A não perder

Egito: Egito é História, antigas civilizações, faraós, esfinges, pirâmides, templos e santuários, o Fértil Vale do Nilo, Alexandria, e a sua famosa Biblioteca, é Luxor e Assuão, mas Egito é também, e muito, o Cairo, e tudo aquilo que a fabulosa cidade tem para nos oferecer.

Guiné: Em Bissau, a capital, descobrem-se as fortes ligações entre Guiné e Portugal. No centro da cidade, vai encontrar a Praça dos Heróis, o porto, a Assembleia Nacional, o Estádio Lino Correia e a zona de Santa Luzia. Nos Bijagós, encontrará um paraíso natural com as suas belas praias de água tépida e transparente.

Moçambique: A capital, Maputo, é um local de visita obrigatória, onde se destaca a beleza da herança arquitetónica. A não perder: Gorongosa, a reserva natural que recuperou dos anos de guerra colonial e civil, e a Ponta do Ouro, região de praia junto à fronteira com a África do Sul. Recomenda-se o Lago Niassa, localizado no norte do país, o Parque Nacional das Quirimbas, um paraíso exclusivo no Índico e a lindíssima Ilha de Bazaruto, bem como a região de Inhambane. Pode aproveitar para conhecer o Kruger Park, na África do Sul, e as Cataratas de Vitória, na Zâmbia.

Quénia: Masai Mara é o mais famoso dos parques do Quénia. Mas existe mais para descobrir, como a Reserva Nacional de Amboseli, com as suas aldeias masai e vista para a montanha mais alta de África. No importante centro financeiro de Nairobi, vai encontrar o orfanato de elefantes e a casa-museu Karen Blixen. O Parque Nacional do Serengueti é um dos melhores locais do mundo para ver os Big Five no seu habitat natural.

São Tomé e Príncipe: A linha do Equador fica localizada no Ilhéu das Rolas e é um local onde vai querer tirar uma fotografia de recordação. Prepare-se para ficar encantado com a Roça Monte Café, uma das mais antigas do país, a Roça Agostinho Neto, com a sua população sempre simpática, e a Cascata de São Nicolau, onde pode mergulhar. Não vai querer perder as Praias da Lagoa Azul, Tamarindos e Jalé e, na Ilha do Príncipe, a Roça Sundy, produtora de cacau e café, bem como as Praias Banana, Margarida e Bom. A língua em comum, a alegria e simplicidade das gentes vão com certeza cativá-lo.

Senegal: Não pode deixar de conhecer o Lago Rosa, mas existe muito mais para descobrir: a capital Dacar, a ilha de Gorée, localizada a dois quilómetros ao largo de Dacar, o delta do rio Saloum, e o Parque Nacional de Niokolo-Koba, ambos considerados Património da Humanidade, pela Unesco, e St. Lois, no extremo norte do país, com um centro histórico, igualmente distinguido pela Unesco.

Tanzânia: O Parque Nacional de Tarangire, no norte, com menos visitantes que os famosos Serengueti (partilhado com o Quénia) e a cratera de Ngorongoro. É inevitável uma visita a Dar es Salaam, cidade que, não sendo a capital, é a mais importante e a Zanzibar, também conhecida como a ilha das especiarias. A não perder, o famoso Monte Kilimanjaro e a capital Dodoma, no interior do país, e claro o nascer ou o pôr-do-sol, únicos em África.

Zanzibar: Stone Town é uma cidade histórica com uma história surpreendente para descobrir. Aqui pode visitar o Forte Árabe, de 1780, a Casa das Maravilhas, construída em 1883, o primeiro edifício da África Oriental a possuir um elevador elétrico e ainda a casa onde nasceu Freddie Mercury, na Rua Kenyatta. Para além da capital, recomenda-se as praias do norte da ilha.

Sobre a região

  Embora África seja um continente demasiado vasto para caber numa pequena definição, existem inúmeras razões para o visitar.

    Pode ser pela grande diversidade étnica, cultural, social e política ou pela enorme diversidade climatérica que inclui o equatorial, tropical, desértico e mediterrâneo ou simplesmente porque aqui a natureza esmerou-se criando tons, cheiros e sabores inesquecíveis. Para além de tudo África é o berço da humanidade, é renascer, é o reencontro com a natureza virgem e o reviver de sensações primitivas e ancestrais.
    O património existente é de tal forma surpreendente que se pode dizer que partir para África é mergulhar na herança que os nossos antepassados deixaram e quem tem vindo a ser muitas vezes classificada como património da humanidade. Nada se equipara a partir à aventura para descobrir uma fauna que mais nenhum continente oferece ou para contactar com culturas ancestrais.
    Mas África também é mar e aqui é possível desfrutar dos mares mais envolventes e mais belos do planeta servindo de estímulo para recargar energias físicas e psicológicas.
    A não perder a magia do pôr do sol, em África vai descobrir cores que nunca viu na vida, a beleza dos animais selvagens a passear livremente no território dos seus antepassados, o mar azul-turquesa e as finas areias douradas, o Cabo da Boa Esperança que deve o seu nome aos descobrimentos, os templos, verdadeiras obras de arte, a beleza, simpatia e simplicidade das gentes, o contraste do moderno com o antigo, a herança do passado, o movimento agitado das grandes cidades, o vasto deserto e os verdejantes oásis. Fortemente ligados a este continente devido à nossa história conhecer África é descobrir o que somos enquanto nação.
    Continente cheio de contrastes nunca é demais regressar à origem para descobrir o que nos move. África é um verdadeiro reino encantado, repleto de mistério e ainda com muito para desvendar à humanidade.

Newsletter

Obtem as melhores ofertas no teu e-mail